Cervicalgia – sintomas e tratamentos para estas dores

Cervicalgia

O que é ?

A cervicalgia é um problema que afeta a região cervical, (o pescoço, normalmente), causando dores e também a rigidez nos músculos afetados, já que a pessoa cria uma posição de defesa da região. Geralmente essa condição é resultado de traumas no pescoço, como movimentos bruscos, dormir mal-acomodada ou permanecer por muito tempo em posição forçada. Pode-se dizer que são as contraturas e distensões musculares.

Quais os sintomas?

Além de a pessoa adquirir posição de defesa e modificar sua postura em função disto, ainda há alteração da musculatura da área, dor no pescoço que pode ser estender aos ombros e braços. O braço ligado ao local da cervicalgia pode apresentar também alteração de força, sensibilidade e também dormência, que pode ser contínua ou não.

O que causa?

Alguns fatores que podem ocasionar a dor cervical

  • Estresse, que causa a rigidez muscular;
  • Contratura e distensão muscular acidental;
  • Mau condicionamento físico;
  • Má postura;
  • Obesidade;
  • Fraqueza abdominal;
  • Envelhecimento;
  • Estenose;
  • Doença degenerativa discal (DDD);
  • Acidentes e lesões no pescoço, causados pelo chamado “chicote”, quando o pescoço é forçado para um lado e a força contrária o força para o outro.

Quando a pessoa nota que a dor cervical dura mais do que alguns dias, tem algum outro sintoma neurológico, como modificações na sensibilidade e/ou na força muscular, por exemplo, podem existir causas mais sérias, como: infecções na coluna, tumores, fraturas, compressões da medula espinhal ou outras.

Como pode ser o tratamento de cervicalgia?

O exame clínico e de imagens, como raios x, ressonância magnética, etc. e a história do paciente, devem ser avaliados para que seja determinado o tratamento.

Dependendo do estado do paciente, se existir comprometimento neurológico ou não, num primeiro momento, são indicados tratamentos conservadores.

  • Quando há necessidade de imobilização da cabeça, sob risco de lesões, principalmente em casos de traumas, um colar cervical é utilizado.
  • Ao serem descartadas lesões mais graves, podem ser receitados antiinflamatórios, como o Diclofenaco, que ajudam a reduzir a dor e o desconforto;
  • Se as contraturas musculares forem as responsáveis pela cervicalgia, podem ser indicados relaxantes musculares;
  • A fisioterapia é bastante importante e deve ser parte constante do tratamento, utilizando-se de várias técnicas terapêuticas que ajudam a aliviar a dor, reduzem os espasmos, ativam a circulação sanguínea, etc.
  • Quando não ocorre um impedimento de movimentação, podem ser realizados alongamentos e também exercícios de reabilitação para melhorar a movimentação e força das partes afetadas e podem ser indicados ainda a reeducação postural e técnicas de relaxamento.
  • Quando não houver sinais de compressão nervosa, a quiropraxia é uma boa indicação, já que faz uma manipulação na coluna, causando seu alinhamento e melhora desse quadro.
  • Apenas 5% dos casos de cervicalgia são indicados para a cirurgia, os outros pacientes costumam estar recuperados entre quatro e seis semanas.

Recomendar:

Comente. Compartilhe…