Exame Papanicolau – o que significam as classes do resultado

Papanicolau é um importante exame ginecológico que deve ser realizado uma vez por ano, para detectar possíveis alterações nas células do colo do útero. As alterações dessas células, as displasias cervicais, podem se transformar em câncer de colo de útero se não forem tratadas. Por isso, a importância do exame, que também é chamado de “preventivo” ou “Citologia Oncótica”.

Além disso, esse exame pode detectar a presença de infecções causadas por vírus, como verrugas e herpes, assim como infecções vaginais que possam ter sido causadas por fungos. No papanicolau ainda podem aparecer informações sobre seus hormônios, o que é importante na prevenção de doenças ou diagnósticos mais específicos.

Quando o exame papanicolau deve ser realizado?

As mulheres sexualmente ativas devem fazer o exame uma vez ao ano, uma semana antes ou dez dias após a menstruação, para que o resultado seja mais seguro. As mulheres que não tem vida sexual ativa ou tem mais de sessenta e cinco anos de idade, podem não necessitar mais do exame se nos anos anteriores foram realizados exames com resultados normais. Mas tudo isso será determinado pelo seu ginecologista, assim como é o médico quem recomenda a frequência com que mulheres sexualmente ativas farão o exame, baseando-se em seu histórico e riscos de desenvolvimento do câncer.

Alguns fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de colo do útero

  • algum exame de papanicolau mostrou alterações;
  • a mulher teve ou tem muitos parceiros;
  • iniciou a vida sexual cedo;
  • a mulher ou o parceiro tem apresentado infecções genitais;
  • a parceira anterior de seu atual parceiro teve câncer ou alguma alteração das células;
  • a mulher teve câncer de vagina ou vulva;
  • a mulher é fumante;
  • o sistema imunológico está fraco por causa de transplantes, drogas que o enfraqueçam ou tem AIDS.

Prepare-se para fazer o exame…

  • nas vinte e quatro horas antes não tenha relações sexuais;
  • nem use duchas ou cremes vaginais nos dois dias antes do exame.

Como é feito o exame que causa tanto receio a algumas mulheres?

Exame de Papanicolau

Infelizmente, apesar de bastante antigo e de ser o melhor método disponível para detectar o câncer de colo do útero a tempo de tratá-lo, o exame ainda é cercado de mitos por algumas mulheres, que o evitam por medo de dor, já que ouvem comentários exagerados sobre a coleta.

O exame na verdade, lembra um exame ginecológico comum: a mulher deita na mesma posição, com os pés no estribo, o médico então introduz um espéculo na entrada da vagina, para ajudar a afastar um pouco mais as paredes da vagina para que o colo do útero possa  ser visto e algumas células raspadas delicadamente com uma espécie de cotonete especial, uma espátula ou palheta. Essas células são enviadas a um laboratório para serem analisadas através de microscópio.

Esse exame é rápido e, apesar de leve desconforto causado pelo aparelho, não há dor, a não ser que a mulher fique muito tensa. Se sentir muito desconforto, fale para seu médico para que ele a ajude a realxar mais antes de recolocar o aparelho.

Entenda os resultados, que é dividido em classes

Os resultados do papanicolau são divididos em:

  • Classe I – ausência de células anormais no organismo, ou seja, um exame normal;
  • Classe II - normalmente indica uma inflamação ou infecção;
  • Classe III -  há presença de células anormais. Nessa classe, também é possível que a paciente tenha uma displasia (lesão celular reversível desencadeada por irritantes crônicos), e esta pode ser dividida em três tipos: leve, moderada e grave. Quando o tipo for leve ou moderado, pode ser feita uma cauterização e se a displasia for grave, às vezes há indicação de retirada de parte do colo.
  • Classe IV - exame considerado suspeito para algum tipo de doença;
  • Classe V – existe a presença de neoplasia (lesão tumoral).

Recomendar:

Comente. Compartilhe…